Will & Will - John Green e David Levinthan


Olá Estranhos da Internet! Sabem, eu estou dando graças a Deus que essa resenha é escrita e não falada, por que é um desafio e tanto falar “Will e Will”, esse título é um trava-línguas, tente falar Will e Will três vezes rápido e lembre-se são só dois Will’s e não  “Will Will Will”. O título americano é tão mais fácil de falar, “Will Graysson, Will Graysson”, ainda não entendi por que não mantiveram.




Pra quem não sabe, talvez por que seja um eremita que more em cavernas e não tem contato nenhum com o mundo, esse livro foi escrito por dois autores que são as sensações do momento na literatura YA, John Green e David Levinthan. Sou um puxa saco do Green isso vocês já sabem, sobre o Levinthan eu já li Nick e Norah que foi um livro que ele também escreveu em parceria, e gostei bastante. Então, como são dois autores que tem uma narrativa que gosto bastante fiquei bastante empolgado pra ler logo Will e Will e ver se essa parceria iria dar certo ou não. 


O livro conta a história de dois garotos completamente diferentes, mas que tem uma coisa em comum, o nome, os dois chamam-se Will Graysson, mas é só isso que eles tem em comum mesmo, pois eles vivem em mundos completamente diferentes e tem personalidades bem distintas. Os capítulos alternam-se entre o Will Graysson do John Green e o Will Graysson do David Levinthan.
O primeiro Will Graysson (que eu vou chamar de Will Hétero) é o do John Green, ou seja, olha o nerd filosófico ai gente. Mentira, esse protagonista do Green, embora tenha varias coisas em comum com os outros, talvez seja o que mais diferente. Ele também é aquele cara tímido, ou na dele(wherever) de poucos amigos e bastante observador. Ele é melhor amigo de Tiny Cooper que é literalmente o maior gay da escola e ele não sabe se gosta ou não de uma garota ai. Enquanto eu lia os capítulos desse Will a única coisa que eu pensava era, “John Green está me seguindo”, serio gente, esse personagem sou eu, as mesmas chatices, visão do mundo parecida, mesmas duvidas, e meu segundo nome é Willian.


Já o Will Graysson (que vou chamar de Will Gay) do David Levinthan foi um desafio eu gostar dele, que garoto chato. Ele é introspectivo, não tem amigos, toma remédio pra depressão e está descobrindo que é gay e ele não sabe como contar isso para sua mãe. Até ai tudo bem, o problema é que ele é dramático demais, ele trata mal as pessoas que se preocupam com ele, principalmente sua mãe, em vários momentos parece que ele se acha superior às demais pessoas. Também não entendi o porquê da depressão dele, pois me pareceu que ele tem uma vida relativamente estável, não consegui achar nenhum motivo que a justifique. Enfim, a única alegria no dia desse Will é as conversas com o seu “namorado virtual”, o Isaac ( é serio isso? A única pessoa que você confia é uma na qual você nunca viu na vida. Ok então). Um dia durante uma dessas conversas os dois decidem se encontrar em Chicago (é serio isso? ²) só que acontece uma coisa e em vez do seu príncipe encantado o Will Graysson acaba encontrando o Will Graysson.



Embora o livro tenha como nome “Will e Will” e seja narrado pelos dois Will’s, eles não são os protagonistas (SUPRISE BITCH!!! #taparei), a historia toda gira em torno de Tiny Cooper, o melhor amigo gay do Will Hétero. Ele é que é o elo entre os Will’s e toda vez que ele aparece, rouba a cena, Tiny não é o melhor personagem do livro, mas de longe ele é o mais engraçado, o seu nome por si só já é uma piada. Ele está tentando produzir um musical autobiográfico e as musicas são hilárias.
O que eu achei mais bacana do livro é que os relacionamentos gays não são tratados como tabus, ou diferentes, eles são vistos de forma natural, e são relacionamentos complicados, mas simples e me dando ânsias de vomito, como todo relacionamento. Quase não há preconceito também (mesmo por que eu acho que as pessoas teriam medo de praticar bullying com o Tiny).



Agora a parceria Green e Levinthan ficou sensacional, a narrativa dos dois flui e se completam de uma maneira que é quase mágica (#exageiros). As vezes eu terminava o capitulo de um dos Will’s e ficava bravo por que eu queria saber o que ia acontecer com ele, mas ai pulava pra o outro Will e  eu terminava o capitulo desse Will e ficava com raiva por que queria saber o que acontecia com ele.
Outra coisa que achei muito bacana na historia, foi o amadurecimento dos personagem, um grande exemplo é o Will Gay, como eu disse a principio não gostei nenhum pouco dele, mas conforme a historia ia rolando ele ia ficando menos chato e vai se tornando uma pessoa melhor, no final do livro eu pude falar “cara você é bacana” e isso acontece também com o Will Hetero e com o Tiny. Talvez seja isso que torna o livro bacana, o fato dos personagens serem tão palpáveis e humanos e percebam que podem usar seus erros como ensinamento para tornarem-se pessoas melhores.

Odiei essa capa u.u













Título Original: Will Graysson, Will Grayson
Autor: John Green e David Levinthan
Editora: Galera Record
Paginas: 352
Ano: 2013

Share on Google Plus

About Erick Sant Ana

22 anos, também conhecido como o terror das Coca-Colas alheias, hiperativo e desatento é mestre na arte de esbarrar derrubar e quebrar coisas. Leitor compulsivo e portador da doença "não dormi direito, pois estava assistindo séries". A frase que você mais vai ouvi-lo dizer é "To com fome" e tem o péssimo hábito de falar de si mesmo na 3ª pessoa.

15 comentários:

  1. Esse livro está na minha lista de novas aquisições:D

    Belo blog!

    Beijos,

    http://resenhaeoutrascoisas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. as vezes a depressão só vem, independente de quem você é, é uma doença, você poder ter uma vida perfeita ou uma vida desastrosa, ela não escolhe muito como vir..
    parece ser bem interessante, colocarei na minha lista *u*

    http://blogcookiecookie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então é que eu tenho uma matéria sobre psicologia na faculdade e segundo Freud (quem vê pensa que sou culto rs) a depressão, assim como qualquer doença da psique acontece quando as coisas que vc guardou na inconsciência (ele fala que na inconsciência ficam todos nossos traumas, medos e "coisas não ditas") ficam tão fortes que passam pro pré consciente e acabam ferrando com sua mente. E bem, aparentemente não aconteceu nada com o Will que tenha causado sua depressão, ele até conta que seu pai abandonou ele e a mãe, mas essa parece que é uma das coisas que ele menos tem magoa, no livro parece muito mais draminha adolescente do que uma depressão propriamente dita.
      Leia o livro e tire suas conclusões, ele é muito bom mesmo.

      Abraços :D

      Excluir
  3. Fico feliz em saber que esse personagem do Green FINALMENTE é um pouco diferente. Amei ler A Culpa é das Estrelas e Quem é você, Alasca? Mas foi só os livros que consegui ler, ai percebi o padrão das personagens, me decepcionou um pouquinho :(
    Achei perfeita essa parceria entre os autores e o livro parece ter ficado ótimo, muito leve e divertido. Aparentemente você se surpreendeu com o livro, adorei seus comentários durante a resenha, me fez rir bastante!
    Acho que o livro vai entrar para a minha lista graças a você, obrigada pela dica!

    Beijinhos,
    Percepções Blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim me surpreendi bastante com ele, ele é aquele tipo de livro pra ler depois de uma ressaca literaria, pq realmente é bem leve. E que bom que vc se divertiu com a resenha, tentei ser um pouco mais divertido pq tenho mania de escrever demais e sempre acho que o post tá chato rs.
      Abraços

      Excluir
  4. Eu tenho vontade de ler esse livro, parece ser bem legal de se ler.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Hullo!
    Eu ainda não li nem esse, nem nenhum livro do gênero, mas estou desejando muito, principalmente agora que estou por dentro do que se trata o livro!
    Beijos.
    Tá rolando promoção, olha lá:
    http://leituraassidua.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Olá Erick!
    Estou lendo Todo Dia no momento, do David, autor desse livro que você resenhou, e estou amando!
    Agora, o Will e Will está na minha lista de desejado, simplesmente por ser escrito por dois maravilhosos autores <3
    Ótima resenha!
    Beijos,
    Ana M.
    http://addictiononbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Bem bacana sua resenha
    Mas esse livro não me chama muita atenção

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Adorei a resenha. O livro promete ser excelente e eu quero muito COMPRAR, POSSUIR E LER ESSE LIVRO O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL. haha

    Até mais ver
    Abraço
    Pedro M
    De Cara Nas Letras

    ResponderExcluir
  9. Adoro o John, já o David vou conhecer lendo Todo dia rs
    Tenho vontade de ler Will&Will, mas algo me impedia de comprar. Acontece que eu achei a capa nova liinda e to completamente apaixonada, sem dúvidas dessa vez ele aparece aqui em casa! :D

    Adorei a resenha ^^
    Bejinhos
    http://www.interacaoliteraria.com/

    ResponderExcluir
  10. Esse livro está na minha wishlist e espero em breve poder lê-lo!!! Isso se minha pilha de leitura cooperar, ela tá gigante rsrs.

    Beijos,
    Myris
    http://www.nacabeceiradacama.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi Erik
    Eu adoro os livros do tio john green , meu favorito é Quem é Você Alasca ;)
    Amei sua resenha , me deixou com uma vontade enorme de ler o livro ;)
    A Editora caprichou na segunda capa haha
    Sucesso com teu blog ;)
    Abs .
    Te espero lá ; http://umgrandevicioliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Tenho esse livro aqui em casa,
    ganhei em um sorteio e estou curiosa para lê-lo, tenho lido críticas
    muito boas a respeito.. Com certeza será uma das minhas próximas leituras..

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir