A Arma Escarlate - Renata Ventura


Editora: Novo Século
Nota do Skoob: 4,6 
Ano: 2011 
Sinopse: O ano é 1997. Em meio a um intenso tiroteio, durante uma das épocas mais sangrentas da favela Santa Marta, um menino de 13 anos descobre que é bruxo. Jurado de morte pelos chefes do tráfico, Hugo foge com apenas um objetivo em mente: aprender magia o suficiente para voltar e enfrentar o bandido que está ameaçando sua família. Neste processo de aprendizado, no entanto, ele pode acabar descobrindo o quanto de bandido há dentro dele mesmo.





Olá Estranhos da Internet! Tudo certo com vocês?

Quando ouvi pela primeira vez sobre  “A Arma Escarlate” e que a historia tratava-se de uma espécie de "extensão” do Universo de Harry Potter a única coisa que pensei foi “preciso desse livro”, consegui compra-lo a bastante tempo, porém por conta da rotina da faculdade e trabalho acabei conseguindo lê-lo só agora, e gente como me arrependo de não ter pego ele antes.
O livro é narrado em terceira pessoa e vai contar a historia  Idá Aláàfin, também conhecido como Hugo Escarlate, um garoto de 13 anos que mora com a mãe e a avó numa especie de container abafado no morro do Dona Marta no Rio de Janeiro e Hugo cresceu testemunhando o tráfico de drogas  e a violência. Ele acaba se metendo em um problema com um dos chefões do morro que começa a ameaçar ele e sua família eis que ele recebe via pombo (vocês acharam que seria o que, corujas no Rio de Janeiro? ) uma carta com a solução dos seus problemas, Hugo foi aceito em uma das cinco escolas de magia e bruxaria do Brasil (isso mesmo cinco, pois o Brasil é um país enorme e uma escola só não atenderia toda a demanda de jovens bruxos, por isso tem uma escola pra cada região) a “Nossa Senhora do Korkovado”. A principio Hugo não acredita muito no que a carta está dizendo, mas mesmo assim ele decidi ir ao endereço descrito na carta com o objetivo de aprender magia o suficiente pra acabar com a raça daquele que o esta ameaçando.



Em Nossa Senhora do Korkovado, que fica localizada dentro do Corcovado, Hugo acaba percebendo que por mais que seja uma escola de magia, ela não é muito diferente das outras escolas públicas por ai não, há desvio de verba, professores faltosos ou desinteressados, problemas de infra-estrutura e por ai vai. 
É inegável que "A Arma Escarlate" possui varias semelhanças a saga criada pela tia Jô e tem diversas referencias não só a historia de Harry, mas de varias outras historias como Crepúsculo (isso mesmo), um pouco antes da metade do livro você percebe que historia de Hugo passa-se no mesmo tempo em que Voldemort está começando a tomar o controle na Europa e isso ao meu ver foi super divertido de ir percebendo ao longo da historia, até referencias a Dumbledore e a própria Rowling é possível notar. Mas isso não quer dizer que Hugo seja uma especie de Harry Potter da favela, ou a Nossa Senhora do Korkovado seja uma Hogwarts brasileira, ou mesmo que a historia criada pela Renata seja uma imitação abrasileirada da obra da Rowling. O que Renata Ventura fez foi pegar um universo que já amávamos e mescla-lo com a nossa riquíssima cultura brasileira de uma forma completamente genial e criativa.



E embora o universo em que a historia se passa seja um "mundo mágico", com seres fantásticos e coisas do gênero, o foco central dela é bem mais "pé no chão" e muito próximo a nossa realidade azêmola (não-bruxa), o livro trata bastante da consciência e da natureza humana e a gente percebe isso muito bem retratado nos personagens, todos eles são bem ambíguos, nenhum é cem porcento bom ou cem porcento mau, o próprio Hugo é o maior exemplo disso  ele não é o tipico herói bonzinho e inocente, ele é um jovem impulsivo, inconsequente ou como a própria Renata diz, indomável. O tempo todo eu torcia pra que desse tudo certo para ele, mas vira-e-mexe eu tinha vontade de soca-lo até a morte, seja por decisões erradas que ele tomava, por mentir sem pensar nas consequências ou pela sua cabeça quente, mas mesmo sendo desse jeito não há como não simpatizar com o personagem, pois no decorrer da leitura você vai entendo o porquê dele ser assim e até podemos dizer que eles só faz essas coisas pelo simples motivo de que ele é humano.
Mesmo tendo várias críticas e discussões que são bastante presentes no nosso cotidiano como, tráfico de drogas, criminalidade, desigualdade social, religião e a mitificação da cultura européia a narrativa consegue ser super-fluida daquele tipo que você nem percebe que está virando as páginas e nenhuma desses temas são colocados forçadamente, tudo é muito bem mesclado na história e geram grandes momentos de reflexão para o leitor.



Uma das coisas que eu fiquei bem "encucado" durante a leitura, foi com o próprio titulo "A Arma Escarlate", além do título esse é o nome da varinha do Hugo que é rondada de mistérios, porém não há muita importância para esses mistérios que envolvem a varinha e ai eu ficava me perguntando "mais por que diabos o livro chama-se A Arma Escarlate?" e foi só no final da historia que me dei conta que o titulo deveria ser uma referencia muito mais ao próprio Hugo, já que Escarlate é o sobrenome que ele escolheu, do que de sua varinha em si e eu achei isso completamente genial (e a Renata me confirmou isso no facebook :D).
O Post já está enorme, eu sei, mas não podia terminar sem falar dos Pixies, uma especie de grupo de alunos revolucionários do Korkovado formado pelos incríveis: Capi, Viny, Caimana e Índio são eles que apresentam todo mundo bruxo ao Hugo e são os personagens mais carismáticos do livro. Eles "lutam" contra o conselho da escola para os alunos terem melhores condições de estudo, para a valorização da cultura brasileira no currículo acadêmico entre varias outras coisas, mas isso não quer dizer que eles sejam uns "nerds chatões", eles são muito divertidos e armam diversos planos pra que o conselho prestem atenção nas suas reivindicações, mas muitas pessoas veem esses planos como vandalismo e, cá entre nós, é sim um pouco (rs). 
Como vocês podem ter percebido adorei o livro e se você gosta de Harry Potter ou mesmo que você não goste tanto assim, mas acha a cultura e o folclore brasileiro fascinantes, com certeza você gostará de "A Arma Escarlate". E para aqueles fãs de Harry Potter que torcem o nariz para a obra da Renata, achando que o livro é só mais uma tentativa de pegar carona na fama da J.K, ou mesmo para aqueles que tem certo preconceito com livros nacionais: "Vocês não sabem o que estão perdendo".





















P.S.: Fiquei super contente quando soube que o Viny, um dos meus personagens favoritos, nasceu na mesma cidade que eu.
Share on Google Plus

About Erick Sant Ana

22 anos, também conhecido como o terror das Coca-Colas alheias, hiperativo e desatento é mestre na arte de esbarrar derrubar e quebrar coisas. Leitor compulsivo e portador da doença "não dormi direito, pois estava assistindo séries". A frase que você mais vai ouvi-lo dizer é "To com fome" e tem o péssimo hábito de falar de si mesmo na 3ª pessoa.

7 comentários:

  1. Olá!!!
    Já ouvi e li muitos comentários positivos desse livro, e apesar de ser fã de Harry Potter ainda não li. Eu sei, me julguem kkk.
    Ótima resenha.
    Abraços

    estantejovem.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá, como vai?
    Eu tenho esse livro há mais de um ano. Já coloquei ele até na minha meta de leitura de 2014, mas ainda não li.
    O segundo livro já está em pré-venda e eu só enrolando, hahaha.
    Parabéns pela resenha.

    www.enquantoestavalendo.com

    ResponderExcluir
  3. Eu realmente recomendo aos fãs de Harry Potter; de fato não é uma cópia deste, mas é possível perceber diversas referências, e isso foi muito interessante. Também gostei do fato de a autora ter abordado diversos temas como o sistema educacional falho ou a desvalorização da cultura nacional. Antes de começar a leitura do livro não esperava por essas críticas, por isso foi uma surpresa positiva. Ademais, o livro ganhou pontos por explorar não somente esse lado social, como também seu efeito sobre o psicológico dos personagens (o que acho igualmente importante, especialmente por gostar mais de histórias que focam mais no psicológico que no ambiente). Só achei que a autora fosse explorar um pouco mais o mundo fantástico e a lógica da magia.

    http://contosdemisterioeterror.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. se eu fosse vc parava de vez com essa falsidade e dissesse a verdade, pois eu perdôo gente que se engana mas mentiroso não! O vc devia ter dito é que gosta de AAE simplesmente porque foi só o 1º livro nacional fanfic de HP, nada mais e nada menos, e isso é pq vc sente muita saudade de HP e não vê mais opções ao seu redor, e se tem são todos péssimos livros. Eu queria ver se caso aparecesse outro livro fanfic de HP nacional que fizesse uma fama capaz de aparecer em jornais e reportagens se vc não iria mudar de idéia ou caísse na real sobre o que tu disse anteriormente e quem sabe reescrevesse sua resenha e colocasse menos uma ou duas estrelas.

    ResponderExcluir
  5. Esse anônimo copia e cola esse cometário em todas as resenhas positivas da AAE só pode ¬¬ Poque na minha resenha também foi o mesmo comentário -.- Eu gostei bastante da resenha :D Recomendo o livro a todos mesmo. É um livro bom de ser lido.
    Abraço
    http://interessantedeler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Já ouvi falar muito bem deste livro, e inclusive estou muito curioso para poder lê-lo.
    E que dedicatória é aquela? kkkkK Já me conquistou logo na dedicatória.

    Abraços
    www.booksever.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Eu conheci esse livro na época em que ele foi lançado, fiquei curiosa justamente por essa semelhança com Harry Potter, mas confesso que esse foi o mesmo fator que me fez ficar receosa com relação a leitura. Aina não pude ler, mas devido a quantidade de elogios, acredito que farei isso logo, até porque, não consigo recusar um livro que envolva esse mundo de magia!
    Jéssica - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir