Maior desafio do ano: NaNoWriMo

Olá Estranhos da internet! 
Esse vai ser um post um pouco diferente do que vocês estão acostumados a ver aqui no {Des} construindo, por que ele será mais uma conversa/desabafo com você leitor. Espero que fique o mínimo possível compreensível, por que eu sou uma negação pra tentar explicar algo em palavras e provavelmente esse post ficará enorme. (espero realmente que vocês tenham paciência e leiam tudo, pois gostei bastante de escreve-lo).
 Assim como a maioria das pessoas, fui uma criança com um imaginação muito fértil e muito antes de aprender a ler e escrever já criava minhas próprias histórias, meus próprios mundos e personagens que viviam nele. Depois de anos fazendo isso apenas com a minha imaginação, já na escola, em uma certa aula de português descobri o que era “redação”, quando a professora pediu que criarmos nossas próprias histórias a partir de um determinado tema, lembro que foi um dos dias mais prazerosos da minha vida escolar e o texto que deveria ter no mínimo quinze linhas, tornou-se uma história de 4 páginas. E desde então sempre foi assim, toda as vezes que havia uma redação pra fazer, lá surgia o pequeno Erick com suas histórias fantasiosas de várias e várias páginas.

Por que eu estou contanto isso pra vocês?

De uns anos para cá perdi esse “tesão” (desculpem a expressão) em escrever, não que simplesmente tenha parado de criar histórias na minha cabeça, isso nunca deixou de acontecer, mas é que aconteceram algumas coisas na minha vida que me fizeram perder a vontade de várias coisas que me faziam bem e logo em seguida (quando já estava tudo certo) comecei a trabalhar, então entrei pra faculdade e cada vez mais eu ia deixando de lado o passar para o papel e acabou que estou a mais de cinco anos sem escrever (Triste eu sei).
Porém, contudo, todavia uma das coisas que aconteceram desde que eu comecei a trabalhar foi que comecei a ter dinheiro para comprar meus próprios livros e minha coleção de livros que tinham uns dez livros hoje já tem mais de duzentos (sim sou um comprador compulsivo) e conforme eu ia lendo mais e mais, uma pequena centelha daquela vontade de escrever aumentava, tanto que foi por isso que decidi perguntar para a Alexsandra se ela gostaria de escrever em um blog junto comigo e assim nasceu o {Des} Construindo o Verbo. Só que a criação do blog invés de dar uma diminuída na “centelha” acabou a aumentando cada vez mais, pois praticamente tripliquei o número de livros que lia e filmes que assistia (por que querendo ou não, filmes também são uma forma de se contar uma história). Foi ai que esse ano resolvi que TENHO QUE VOLTAR A ESCREVER.
Mas como nada nessa vida é fácil (principalmente pra pobre), eu simplesmente não conseguia sentar e começar a escrever, tenho um certo grau de DDA e toda vez que parava e falava “agora vou escrever”, ia tomar um suco, dava um passada no banheiro, assistia algum vídeo no youtube, lia o capitulo de algum livro, ou seja, fazia tudo, menos escrever a bendita da história, e não era por falta de inspiração, há pelo menos três enredos na minha cabeça que me “assombram” a anos e eu não dou muita bola pra eles.

Até que chegou Novembro.

E com ele uma possível grande motivação para criar vergonha na cara, se focar e escrever, o NaNoWriMo. Pra quem não sabe, NaNoWriMo é uma sigla para National Novel Writing Month (algo como Mês Nacional da Escrita de Romances) é um projeto criado lá nos EUA que desafia escritores e aspirantes a escritores a escreverem um livro de 50.000 palavras durante todo o mês de Novembro, e ai eu pensei “por que não?”.
Só que logo me toquei de um pequeno detalhe, Novembro é o mês em que geralmente eu surto, pois é entrega de trabalhos finais, planejamento de seminários e provas na faculdade. Trabalho em um hotel no litoral então é o mês que começa a temporada, ou seja, o trabalho triplica e fora que também é final de semestre no curso técnico que faço aos sábados. Ou seja geralmente quando chego em casa faço isso:
Então, me propor escrever em média 1667 palavras por dia em um dos meses mais corridos do ano para mim, como vocês podem estar pensando, talvez não seja uma ideia lá muito boa. Só que ao mesmo tempo eu meio que sinto que se não me empenhasse agora eu iria acabar empurrando cada vez mais com a barriga e provavelmente acabaria escrevendo algo de novo só na minha aposentadoria. Então pensei, pensei, pensei....


E cheguei a solução.

Decidi que irei sim participar do NaNoWriMo, mas, infelizmente (ou não né) terei que “roubar” . Na verdade o que farei é modificar duas regras para que eu consiga me organizar. A primeira é que estenderei o prazo para até o dia 31 de Dezembro, pois vai ter dias nesse mês de Novembro que simplesmente será impossível de eu conseguir escrever uma frase se quer, então achei que seria melhor aumentar um pouco o prazo. A segunda regra que irei mudar, talvez seja o maior trapaça que eu esteja fazendo, é que além de contar com as palavras escritas na historia que já comecei a escrever, também contarei com as palavras escritas nos posts tanto daqui do  {Des}Construindo o Verbo, quanto do meu outro blog, o Blackout Criativo (começando por esse). Achei melhor fazer desse modo, pois, sinto que tenho negligenciado os dois blogs e não estou postando com tanta frequência como eu acho que deveria estar postando, por isso o NaNoWriMo vai ser uma motivação para eu escrever mais tanto “literatura” quanto os posts dos blogs.


Como funcionará e o que escreverei

Primeiramente eu começo dizendo que tenho 70% de certeza que não conseguirei terminar a historia, mas que as 50.000 palavras, isso sim eu garanto que farei. Como estou voltando agora ao “mundo da escrita”, e percebi que estou um pouco “enferrujado” decidi escrever  uma fanfic, pois acredito ser algo mais fácil. A historia que escolhi “fanficionar” é a série “A Mediadora” da autora Meg Cabot (que a Alexsandra já resenhou aqui no blog). E assim, eu não usarei nenhum personagem da historia original, a única coisa que usarei mesmo é plot “adolescente que vê fantasmas”, ou seja, será uma historia completamente inédita no universo que a Meg já criou. Porém,  ainda não sei se publicarei em algum site ou mandarei pra alguém essa fanfic, provavelmente não, pois é mais um teste para eu ver como anda minha escrita ( spoilers: não está lá essas coisa).
E por fim, para vocês acompanharem como está o andamento desse desafio que propus a mim mesmo, todo final de post colocarei quantas palavras escrevi até o momento, e assim vocês poderão me cobrar, comentar como sou lerdo e me incentivar :D
Se você leu o post todo, o que acho que muitas pessoas não farão =’(, e tiver curiosidade de ler o primeiro capitulo da fanfic, deixe seu email ai nos comentários, e uma palavra escrita errada propositalmente pra eu ter certeza que você leu mesmo rs que eu mando pra você assim que eu terminar :D


Bom pessoal, é isso, me desejem boa sorte, pois vou precisar. Até a próxima

NaNoWriMo Status: 2090 palavras (estou atrasadissimo)
Share on Google Plus

About Erick Sant Ana

22 anos, também conhecido como o terror das Coca-Colas alheias, hiperativo e desatento é mestre na arte de esbarrar derrubar e quebrar coisas. Leitor compulsivo e portador da doença "não dormi direito, pois estava assistindo séries". A frase que você mais vai ouvi-lo dizer é "To com fome" e tem o péssimo hábito de falar de si mesmo na 3ª pessoa.

1 comentários:

  1. Erick, você é bem corajoso, também amo escrever mais tenho este mesmo problema de não me concentrar e começar.. rsrsrs Boa sorte!! uma palavra errada? ESKACES KK, pradaianesantos2014@gmail.com
    www.batomnacapa.blogspot.com

    ResponderExcluir