Um vício chamado Netflix


Se há alguem que acompanha o blog periodicamente provavelmente notou que muitos dos meus posts são sobre coisas que vi no Netflix (Unbreakable Kimmy Schmidt, Demolidor, 50% e Será que? -  que foi a Alexsandra que fez, mas beleza). E isso meus caros é um sinal de algo muito sério que percebi que está acontecendo comigo: Estou viciado no Netflix.
Tudo começou quando em uma tarde qualquer de domingo eu estava lendo um daqueles maravilhosos posts do BuzzFeed quando de repente me deparo com esse gif:


na verdade não lembro qual gif era, mas vamos fingir que é esse

Pra quem não sabe, esse gif é da série “Guia de Sobrevivência Escolar do Ned” que passava a alguns anos atrás na Nickelondeon e que eu era muito viciado quando pequeno e quando vi esse gif no Buzz Feed me deu aquela nostalgia, me bateu uma vontade de assistir tudo de novo. Então comecei uma caça pelos torrents da vida para ver se encontrava essa delicia de série, porém como nada nunca é fácil, não consegui nenhum link decente, eis que quando já estava para desistir, descubro por acaso que todas as temporadas estavam disponíveis no Netflix *--*. Decidi então me cadastrar no site e aproveitar os 1 mês grátis, que seria o tempo suficiente para conseguir assistir tudo e depois desativaria, já que sou universitário e não posso tá desperdiçando dinheiro assim. Só que a Netflix é uma coisa traiçoeira, pois quando você assiste determinados filmes e séries, os algoritmos mágicos do serviço vão captando seu gosto e de repente começam a aparecer dezenas de sugestões e você com certeza irá querer conferir essas sugestões, depois de você assisti-las, vãos ser sugeridas novas coisas em um loop infinito e quando você se dá conta, aquilo que era para durar só 1 mês, já passa de um ano.
Se você já tem um alto grau de vicio em séries, provavelmente depois que descobrir o maravilhoso mundo que é o Netflix, esse vicio aumentará e muito, meu caro. Digo isso por experiencia própria. Quando você se der conta, estará inventando desculpas para os seus amigos que te chamam pros roles nos fins de semana, mesmo por que né:
Tem dias também, que você está meio entediado e sente vontade de assistir o primeiro episodio daquela série antiga que você já terminou a algum tempo, você vai lá procura ela no catalogo, começa a assisti-la e quando percebe já tá na metade da segunda temporada. Ou então quando você está afim de assistir um filme, ai quando ele termina o Netflix vai lá e sugere outro, então você vai lá e assiste esse outro, quando ele termina aparece outra sugestão e ai você acaba ficando preso nessa armadilha. E agora então que eles liberaram todas as temporadas de Friends,
Brincadeiras a parte, nesse meio tempo que to na correria de trabalho+faculdade, onde não tenho cabeça nenhuma pra ler livros com o mesmo afinco que lia antes, o Netflix virou meu mais novo melhor amigo e só uma boa série ou um bom filme pra me distrair nessa correria da vida adulta, que ainda não to muito preparado pra me jogar de cabeça (rs).
Mas por que resolvi falar sobre o Netflix nesse post? Simplesmente porque eu tava sem assunto pra falar essa semana e não queria deixar sem post aqui, e vai né que alguém do Netflix leia e me dê uma conta vitalicia que nem deram pro Silvio Santos (sonho meeu!).
Espero que tenham gostado, não esqueçam de curtir nossa fanpage e agora temos Instagram também @des_construindo. Até mais!


Esse foi um trabalho que fiz esse semestre na faculdade em dupla com a +Kika Manchester que demonstra um pouco o que eu vivo com o Netflix






Share on Google Plus

About Erick Sant Ana

22 anos, também conhecido como o terror das Coca-Colas alheias, hiperativo e desatento é mestre na arte de esbarrar derrubar e quebrar coisas. Leitor compulsivo e portador da doença "não dormi direito, pois estava assistindo séries". A frase que você mais vai ouvi-lo dizer é "To com fome" e tem o péssimo hábito de falar de si mesmo na 3ª pessoa.

0 comentários:

Postar um comentário