Maze Runner: Prova de Fogo


Quem acompanha o blog a um tempo sabe que fiquei bastante satisfeito quando li a trilogia Maze Runner e ela acabou se tornando minha distopia teen favorita. E é claro como bom fã fui esse fim de semana ao cinema conferir a continuação dessa franquia que começou muito bem com "Maze Runner: Correr ou Morrer" e que prometia elevar muito o nível da saga nos cinemas.


Começando exatamente da onde o filme anterior acabou Thomas (Dylan O'Brien)e seus amigos são resgatados da base do CRUEL e levados para uma instalação segura onde descobrem que não foram os únicos a serem colocados em um labirinto. De banho tomado, bem alimentados, lugar pra dormir e uma certa mordomia, que parece bom demais pra ser verdade e com ajuda de Aris, um fugitivo de outro labirinto, acabam fugindo do local a procura de um provável grupo de resistência, o Braço Direito.

Diferente do primeiro filme onde tínhamos a grande ameaça do labirinto e o que se encontrava nele, aqui o perigo toma proporções bem maiores, dessa vez o cenário é um mundo pós-apocalíptico e distópico, infestado de Cranks e com um orçamento bem maior do que o do primeiro filme esse mundo apresentado ficou muito bem construído.





A ação desse segundo filme toma proporções bem maiores e a historia intercala entre aventura, ação e até mesmo terror, lembrando muitas vezes um jogo de video-game onde a cada fase passada a próxima fica mais complicada.


Os fãs mais xiitas do livro provavelmente não vão gostar das mudanças na historia, já que embora todo o "espirito da historia" seja muito bem retratado no livro, o filme é completamente diferente. E ao meu ver esse é um dos pontos altos, já que não tanta graça assim em gastar dinheiro pra assistir um filme onde eu já sei todo rumo que a historia ira tomar. E "Maze Runner: Prova de Fogo" conseguiu me deixar completamente no escuro sobre qual caminho a historia tomaria e como será o gran finale no próximo filme. A unica coisa de diferente que me incomodou foi que no livro os garotos estão constantemente sendo manipulados pelo C.R.U.E.L., enquanto no filme muitas vezes eles são muito mais espertos que os soldados treinados da organização, o que tira um pouco a verossimilhança da historia.


Tanto Dylan O'Brien quanto o resto do elenco está muito bom, o único problema é que não há muito espaço para o desenvolvimento dos coadjuvantes e embora no livro a historia seja contada do ponto de vista de Thomas, no cinema há essa possibilidade de dar uma destaque a mais para os demais personagens e isso infelizmente não acontece.




A paleta de cores usada nesse filme, também se diferencia bastante da do primeiro filme, aqui temos tons bem mais claros e não há dificuldade nenhuma de enxergar a ação nas cenas noturnas.
Embora não seja um filme perfeito, "Maze Runner: Prova de Fogo" consegue ir alem das expectativas, é um filme que agradará bastante os fãs de filmes de ação e quem gosta de levar sustinhos, mas talvez não agrade tanto assim os fãs do livro.



Direção: Wes Ball
Elenco: Aidan Gillen, Barry Pepper, Dylan O'Brien, Giancarlo Esposito, Kaya Scodelario, Ki Hong Lee, Lili Taylor, Patricia Clarkson, Thomas Brodie-Sangster, Alexander Flores, Dexter Darden, Jacob Lofland, Katherine McNamara, Nathalie Emmanuel.
Roteiro: James Dashner, T. S. Nowlin
Produção: Ellen Goldsmith-Vein, Lee StollmanLee Stollman, Marty BowenMarty Bowen, Wyck GodfreyWyck Godfrey
Duração: 131 min
Classificação: 14 anos
Distribuidora: 20th Century Fox
Ano: 2015
Share on Google Plus

About Erick Sant Ana

22 anos, também conhecido como o terror das Coca-Colas alheias, hiperativo e desatento é mestre na arte de esbarrar derrubar e quebrar coisas. Leitor compulsivo e portador da doença "não dormi direito, pois estava assistindo séries". A frase que você mais vai ouvi-lo dizer é "To com fome" e tem o péssimo hábito de falar de si mesmo na 3ª pessoa.

1 comentários:

  1. Resenha muito bem escrita, deixou os pontos altos do filme bem argumentados.
    Não é um filme que me interessa xD, mas mesmo assim gostei de ler o que você escreveu, e gostei mais ainda da sua opinião a respeito da transposição do texto literário para o filme. Sempre vai ser diferente xD, são linguagens, textos, diferentes.

    Abração!

    ResponderExcluir