Trilogia Feios - Scott Westerfeld







Título Original: Uglies
Autor: Scott Westerfeld
Editora: Galera
Páginas: 415
Ano: 2005
Feios (Livro 01): 

Tally está prestes a completar 16 anos, e ela mal pode esperar. Não por sua carteira de motorista – mas para se tornar bonita. No mundo de Tally, seu aniversário de 16 anos traz uma operação que torna você de uma horripilante pessoa feia para uma maravilhosa pessoa linda e te leva para um paraíso de alta tecnologia onde seu único trabalho é se divertir muito. Em apenas algumas semanas Tally estará lá.

Mas a nova amiga de Tally, Shay, não tem certeza se ela quer ser bonita. Ela prefere arriscar sua vida do lado de fora. Quando ela foge, Tally aprende sobre um lado totalmente novo do mundo dos bonitos – que não é tão bonito assim. As autoridades oferecem a Tally sua pior escolha: encontrar sua amiga e a entregar, ou nunca se transformar em uma pessoa bonita. A escolha de Tally faz sua vida mudar pra sempre.
(Skoob)





Título Original: Pretties
Autor: Scott Westerfeld
Editora: Galera
Páginas: 382
Ano: 2005

Perfeitos (Livro 02):

Tally finalmente é perfeita. Agora seu rosto está lindo, as roupas são maravilhosas e ela é muito popular. Mas por trás de tanta diversão – festas que nunca terminam, luxo e tecnologia, e muita liberdade – há uma incômoda sensação de que algo importante está errado.

Então Tally recebe uma mensagem, vinda do seu passado, que a faz se lembrar qual é o problema na sua vida perfeita. Agora ela precisará esquecer o que sabe ou lutar para sobreviver – as autoridades não pretendem deixar que alguém espalhe esse tipo de informação.
(Skoob)







Título Original: Specials
Autor: Scott Westerfeld
Editora: Galera
Páginas: 352
Ano: 2006
Especiais (Livro 03):

Circunstâncias especiais. As palavras dão arrepios a Tally desde seus dias como uma repugnante e revoltada Feia. Naquela época, especiais eram um boato sinistro - assustadoramente bonitos, perigosamente fortes, chocantemente rápidos. Perfeitos comuns podem viver uma vida inteira sem conhecer um especial. Mas Tally nunca foi comum.
E agora ela se tornou um deles: uma super máquina de combate, construída para manter os feios humilhados e os perfeitos idiotas.

A força, a velocidade, e a clareza e foco de seus pensamentos é a melhor coisa que Tally consegue lembrar. Na maior parte do tempo. Uma pequena parte do seu coração ainda se lembra de algo mais.

Mesmo assim, é fácil ignorar isso - até Tally oferecer-se a acabar permanentemente com os rebeldes de New Smoke. Tudo se resume a uma escolha: escutar seu coração ou realizar a missão para que foi programada. De qualquer jeito, o mundo de Tally nunca mais será o mesmo.
(Skoob)




CUIDADO!! CONTÉM SPOILERS

E lá vem a Alana com mais uma distopia... Mas calma, que depois dessa eu acho que largarei as distopias por um tempo!

Feios se passa no futuro onde as pessoas passam por uma cirurgia para se tornarem Perfeitos aos 16 anos e viverem uma vida de festas e nenhuma preocupação, cercados de tecnologias incríveis e borbulhantes.

Tally Youngblood é a nossa personagem principal, que morre de vontade de finalmente se tornar uma Perfeita. Seu melhor amigo fez 16 anos antes dela e já vive em Nova Perfeição, ou seja, ela agora está sozinha. Ela mal vê a hora de se tornar Perfeita e viver uma vida de Perfeita com ele e todas as festas e fogos de artifício.

Então ela conhece Shay, que não está tão empolgada assim em passar pela cirurgia e pretende fugir para não ser submetida a isso. Não sem antes tentar convencer Tally a ir com ela. Obviamente, Tally recusa e, no dia de sua cirurgia, ela é impedida de passar pela mudança a não ser que colabore com as autoridades - os Especiais -  para encontrar Shay e os Esfumaçados – a “sociedade” dos fugitivos que não quiseram se tornar Perfeitos. Tally decide ajudar, encontra os Esfumaçados, percebe que eles podem ter razão sobre a cirurgia, que é onde as coisas começam a desandar.

A premissa da história é boa. A capa é linda. A história deixa muito a desejar. Eu achei ela bem chata, com um roteiro previsível e uma protagonista bem egoísta e rasa, como toda boa adolescente de 16 anos. Vi muitas resenhas falando o quanto os Perfeitos são fúteis e superficiais, mas preciso admitir que uma sociedade onde tudo funciona perfeitamente bem, todos estão felizes e não existem diferenças e desafetos, onde a natureza não é prejudicada e a vida é tranquila e fácil não me parece a pior coisa do mundo. Inclusive, se fosse para eu dar meu pitaco na crítica social feita nesse livro, eu gostaria mais de focar em como eles julgam os Enferrujados – nós – como primitivos que quase causaram a destruição do mundo, consumindo e destruindo tudo à nossa volta em nome do lucro. Então não vou conseguir achar que a Nova Perfeição é um lugar péssimo de se viver, muito pelo contrário.

E quando eu penso na história completa, eu vejo o quanto isso é importante. Os seres humanos são considerados destrutivos, como câncer. É como uma praga que se espalha e acaba destruindo a sua própria fonte de vida. Então, não, eu não acho que os Enfumaçados são 100% mocinhos da história e eu acho a Tally uma pessoa insuportável que só faz cagada na vida (como todo adolescente de 16 anos).

A história é lenta, as cenas de ação não me empolgaram e, no fim da coleção, eu tive a sensação de que as pessoas, agora curadas da “falha” no cérebro (falha essa que elas ganham de brinde com a operação, para se tornarem avoados), estão voltando a “expandir” as terras e que, inevitavelmente, voltarão a ceder à sua natureza destrutiva. Tanto que Tally, no fim de Especiais, resolve não fazer parte dessa nova sociedade, vai viver no mato com David e promete ser a “vigilante” da natureza e promete atacar caso os humanos comecem a passar dos limites. Boa sorte protegendo o mundo inteiro, gata.

Eu ainda não li Extras e não tenho certeza se quero. Agora teremos outra protagonista e a beleza não é a coisa mais importante da sociedade – é a fama. Ou seja, a sociedade não consegue ficar sem esse tipo de competição. Não sabem viver em harmonia e cagam tudo. Grande novidade!

Talvez um dia eu leia Extras, mas acho que não lerei a coleção Feios novamente. Enquanto as outras distopias que li eram empolgantes e diferentes, essa me deixou com bastante preguiça de terminar de ler, o que eu não acho uma qualidade boa para um livro hahaha.

Ele não é ruim e dá pra passar um tempo se você está atoa, mas existem histórias melhores para serem lidas.
Share on Google Plus

About AlanaGob

1 comentários:

  1. Oi Alana!
    Haha, acho que temos a mesma visão viu!
    Parei no primeiro e com certeza não vou querer os próximos. Achei a história muito perfeita, mas a maneira com que o autor conduziu tudo, decepcionou, de diversas maneiras, desde os personagens, a centralização em dramas tão futeis e sem graça :( Esperava mais ação sendo a distopia que é a o tema que o autor trabalha, mas foi só decepção, e com certeza não os quero na minha coleção.

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir