Resenha: Branca dos Mortos e os Sete Zumbis e Outros Contos



Resenha novíssima aqui no blog e todos comemoram! Fugindo um pouco das leituras que eu estava acostumada a ler, "Branca dos Mortos e os Sete Zumbis e Outros Contos Macabros" veio para tirar um pouco da leitura anterior (que também têm post no blog e o link da resenha está aqui) porque são contos muito bem construídos, diferentes e macabros. Se você é apaixonado por histórias de contos de fadas que têm um final feliz, esquece disso quando você lê esse livro do Fábio Yabu, porque contos de fadas são cruéis, como Fábio Yabu mesmo disse.




    
Branca dos Mortos e os Sete Zumbis é um livro composto por 12 contos distintos de um certo ponto, mas interligados por um mal em comum. Cada conto conta a história "real" do que aconteceu de fato com vários personagens que conhecemos até hoje, como Branca de Neve, Cinderela, Chapeuzinho Vermelho, Os Três Porquinhos e por ai vai. Não se assuste ao descobrir que, em vários contos, existem zumbis e muita morte. O primeiro conto é o da Branca de Neve dos Mortos, que viveu pior do que escravo por seu pai acreditar que ela era a responsável pela morte da mãe, que queria muito ser mãe e acabou recorrendo a uma bruxa para realizar tal feito e pagando com a morte. Muita coisa acontece e essa mesma bruxa horrenda acaba fazendo um feitiço para se tornar bela o suficiente para casar com o rei. Como vocês já sabem, a madrasta não suporta ter a Branca como a mais bela e resolve matar a Branca. O problema é que, na floresta onde Branca é abandonada, existem criaturas que ninguém gostaria de enfrentar, nem mesmo a bruxa, criaturas que existem desde o princípio e que são, literalmente, o mal encarnado. Branca vai precisar ser forte o suficiente para derrotar a madrasta (e responsável por toda a sua terrível vida) e os sete zumbis que ninguém conseguiu destruir até então.




Dentre os vários contos, gostaria de destacar mais um, porque se eu falar de todos essa resenha será imensa. O quinto conto é a história macabra da Cindehella (sim, assim mesmo) e o Sapatinho Infernal. Assim como Branca, Cindehella passou a vida sendo colocada como escrava após a morte de seu pai, pois foi criada por sua madrasta junto com as duas filhas mimadas dela. O pai dela era médico e tinha uma biblioteca considerável de livros que ela herdou, aprendendo muito sobre o corpo humano, sobre elixires e fluidos. Com isso, aprendeu a misturar ingredientes para criar loções para a pele e cabelo, deixando-os sempre lindos e sedosos e na medida em que Cindehella crescia, ela ficava ainda mais bela, mesmo vivendo da pior forma possível. Como todos sabem, um rei faz um baile para seu filho com o objetivo de encontrar uma esposa para ele e a madrasta (falida) vê a grande oportunidade de caçar uma ou as duas filhas com o príncipe. Cindehella também sente vontade de ir ao baile, mas a madrasta a proíbe e quando a madrasta vai com suas filhas, Cindehella vai ao jardim chorando em prantos por sua vida ser tão cruel.

E nesse meio choro, surge sua "fada madrinha" que a concede seu tão sonhado desejo, ir ao baile. Cindehella fica deslumbrante e quando chega ao castelo fica maravilhada com tamanha riqueza, assim como todos também ficam com ela. O príncipe e Cindehella se encantam à primeira vista e eles começam a dançar, mas na primeira badalada da meia-noite, ela solta várias pragas de sua boca que começam a devorar todas as pessoas do reino e a cada badalada uma nova praga aparece no castelo. Depois que as doze badaladas acabam, os poucos sobreviventes saem desesperados de lá e desses poucos que sobreviveram está o príncipe, que quer capturar a "bruxa" que soltou aquela atrocidade e, Cindehella, sem lembrar de nada a princípio, percebe que está sendo perseguida (pois perdeu um de seus sapatinhos de cristal e o mesmo está sendo usado para encontrar a dona daquele minúsculo pé) e que precisa fazer alguma coisa para não ser queimada viva quando encontrada.



Esse segundo conto é muito incrível por ser de longe, muito criativo e com um final surpreendente que também dá uma ligação aos outros contos. Poderia ainda falar sobre outros que eu achei incríveis, mas vamos deixar aquela surpresa para quem for ler, certo? Até porque os contos finais são surpreendentes. A escrita é sensacional (meu primeiro livro do Fábio Yabu), cativante e muito criativa e fácil de ler. Ele usou uma mescla dos contos originais e das suas novas criações no decorrer dos contos, o que ajudou para que nada se perdesse, então parece que essas histórias realmente aconteceram dessa forma. Embora eles usem bastante o fato do livro ser extremamente macabro, eu não achei tão horripilante assim, embora ache muito apavorante os detalhes de todas as tragédias, não é aquele livro que te faz ficar pasma com tanta atrocidade, salvo alguns contos que tem passagens assim. De maneira geral, gostei muito da leitura e foi uma surpresa super positiva para mim e vai ser um livro que eu recorrerei quando estiver em um bloqueio de leitura, rs. A leitura é sensacional e as ilustrações de cada início de conto também são incríveis, então se você gosta de contos clássicos com um estilo meio Neil Gaiman misturado com os contos dos irmãos Grimm, esse livro é para você e se você procura uma leitura mais assustadora, diferente e rápida, ele também vai te agradar bastante.

Livro: Branca de Neve e os Sete Zumbis e Outros Contos
Autor: Fábio Yabu
Editora: Globo Alt
Páginas: 198
País: Brasil
ISBN: 978-85-250-5570-5

Share on Google Plus

About Alexsandra Ferreira

Alexsandra tem 20 anos, virginiana e universitária, que ama filmes, música e compras, além de desenhar nas horas vagas e cantar (tentar). Quer fazer Ciências Contábeis após a Pós-Graduação e quem sabe, vários cursos voltados para web design, que tem tudo a ver (haha sqn). Sonha conhecer o mundo todo (seja pelos livros ou não), mas parte dele também vale.

0 comentários:

Postar um comentário