Essa não é uma carta de amor; é um pedido de socorro



Hoje eu estava certa de que ia conseguir escrever sobre o quão grata sou por ter sido abençoada com a dádiva de ser mulher, sobre o quanto mulher é guerreira e tem que se esforçar tanto pra conseguir o mínimo na vida, mas foi só abrir os olhos, 7h da manhã que eu percebi que tenho muito mais a criticar e ter forças para mudar do que para agradecer.

Começou logo que abri o Facebook e já vi todo tipo de discurso hipócrita vindo de homem e de mulher também. Se desenvolveu quando em plena manhã já rolou aquele assediozinho no metrô (nem no dia da mulher a gente tem folga) embrulhando meu estômago, permaneceu quando fui fotografar um evento dedicado ao dia especial da mulher e tive que ouvir de um funcionário que "sapatão não devia poder participar" e eu pedi arrego, quando vi que ainda era tarde e acabei lendo o seguinte comentário:

"Outro dia entrei numa discussão dessa. Me explicaram essa tal de identidade de gênero.
Cabeça de mulher e corpo de homem. Faz sentido que isso exista. Por isso que os muçulmanos fofos (que esse povo defende) quando se deparam com isso, separam a cabeça do corpo kakakakakak
Nasceu homem, homem morrerá. Nasceu mulher, mulher morrerá."

Pera lá, minha gente! Não temos nada para comemorar hoje, temos é que pedir socorro, declarar calamidade pública e recorrer ao exército das manas, porque não tem cabimento aceitar esse tipo de situação.

As consciências não deveriam estar limpas por simplesmente terem comprado florzinha no farol, por mandar aquela foto de pétala de rosa com frase cafona no whatsapp da família.

Vocês vão ter que me perdoar, mas hoje não é um dia pra ganhar flor, não é dia pra fingir gratidão; é dia de diálogo, de discussão, de resistência, de buscar soluções e lutar pra que essa galera não venha reduzir toda a luta a um simples "parabéns pelo seu dia".

Ninguém é obrigado a saber ou lembrar de tudo, mas para os que conseguiram entender a minha mensagem, deixo esse trecho (que abriu meus olhos e meu coração pro real significado de hoje) e esse link de uma matéria maravilhosa que só vai te trazer coisas boas na vida e que não merece ser lida só no dia das mulheres, merecia ser tema de debates diários e de homenagens infinitas:

"Relembrar os caminhos que levaram a instituição dessa data é um modo resistir. Hoje, é importante impedir que o conteúdo emancipatório desta data seja substituído por um significado edulcorante e conveniente ao sistema capitalista. O capitalismo não age sobre os movimentos emancipatórios unicamente com a intenção de eliminá-los: pretende sempre incorporá-los, esvaziá-los de significado e potência revolucionária para transformá-los em produto."


Para finalizar, dia internacional da mulher vai muito além de agradecer por quem gera a vida, está mais para lutar para e com quem merece uma vida mais digna e mais simples de ser vivida! Não deixem o sonho morrer, não deixem a história se apagar.


A luta continua.
Share on Google Plus

About Des Construindo o Verbo

0 comentários:

Postar um comentário